Evolução em Ursídeos



20 milhões de anos atrás, o planeta era mais quente e recoberto por florestas. Nelas habitava o primeiro urso, o urso da alvorada, que tinha tamanho e aparencia de um lobo e vivia nas árvores para evitar a competição e predação com outros grandes carnívoros. Com uma dentição flexível para evolução, pois conseguiam, graças a seus dentes se alimentarem de carne e de plantas, aqui começou a jornada para a evolução do urso como o conhecemos hoje. Com a mudança climática acontecendo na terra, as florestas foram dando lugar a campos abertos, savanas, onde o novo urso tinha que se adaptar. E assim ocorreu. Aquele urso que vivia nas árvores evoluiu para o urso cinzendo que originou os ursos que conhecemos hoje. Pela Beríngia(estreito de Bering) em uma das grandes glaciações,cerca de 14 milhões de anos atrás, esse urso migrou para a Eurásia, onde divergiu em duas novas espécies graças a falta de alimento a que eles estavam acostumados, a carne, e suas novas fontes de alimentação que os fizeram se adaptar. Na China o urso se adaptou para comer bambu, que havia em demasia. Seus dentes, graças a flexibilidade desde seu ancestral, o possibilitou a isso junto ao polegar do panda, um dedo oposto as cinco garras que o permite segurar o bambu para quebrá-lo, dando origem aí ao atual Panda. Mais ao sul, na Índia, aquele urso se adaptou a comer formigas e cupins e consequentemente seu corpo criou estruturas para tal, seu focinho lembra o de um tamanduá com sua língua comprida, porém este urso, o atual urso beiçudo, não perdeu todos os dentes como aquele desdentado.
Enquanto isso, a 45 mil anos atrás, os ursos que na América do Norte ficaram, evoluíram ao urso gigante de fucinho curto(Arctodus), um carnívoro incrível, que chegava a 3,20m e tinha dentes poderosíssimos. Sua aparencia era de dar medo a outros carnívoros de grande porte, portanto ele garantia sua carcaça, pois era carniceiro, já que não tinha anatomia corporal boa para caça, mas porte suficiente para intimidação.
Esses ursos evoluíram independentes um do outro, separados pelo oceano, pois a Beríngia se desfez com outra mudança de clima no planeta. Com sua formação numa Terra de outro clima, ursos da ásia, o urso pardo, aquele de antes da divergência de pandas e beiçudos, e ursos da américa, o urso gigante, se encontraram e brigaram por território, extinguindo os primeiros naquele território, como já era de se esperar.
Tempos depois,com uma nova mudança de clima, o urso pardo ganhou território e o urso gigante(Arctodus) foi extinto por não ser pário ao novo clima mais quente e a falta de alimentos, a maioria de suas presas desapareceu no mesmo período, aumentando sua competição com o urso pardo. Seu desaparecimento também coincide com o desenvolvimento da tecnologia e as técnicas melhoradas de caça por parte dos seres humanos na América do Norte, por isso, a pressão pela caça também pode ter contribuído para a sua extinção, tanto diretamente (caça por humanos) como indiretamente (devido ao esgotamento de outros grandes mamíferos caçados por eles). A sua extinção completa, foi há aproximadamente 10 mil anos, apenas! Gostaria de ter conhecido esse animal gigantesco e incrível! Quem sabe, pelo menos até agora confirmado, o maior carnívoro da Terra que já existiu!
Paralelamente, na Eurásia, um novo urso, o urso das cavernas, evoluiu a partir do urso castanho há cerca de 1,2 milhões de anos. Dado o clima bastante frio do Plistocénico, época de vivencia deste urso, supõe-se que este animal hibernasse mais tempo que os ursos modernos justificando a presença frequente do animal em cavernas.
As causas para a extinção do urso-das-cavernas não são conhecidas com exatidão. Supõe-se que ele tenha desaparecido devido a uma redução do seu habitat no fim da Idade do Gelo e/ou, a mudanças contemporâneas da flora européia. Não podemos excluir a interferência do homem, uma vez que as comunidades primitivas partilhavam o mesmo espaço que este urso e disputavam pelas cavernas como abrigos. Sua espécie desapareceu há cerca de 10.000 anos.
Mais uma incrível divergência aconteceu há 2 milhões de anos atrás: o urso polar evoluiu a partir dos ursos castanhos que ficaram encurralados no Ártico. Com a imposição de uma barreira geográfica fica fácil adivinhar como tudo aconteceu. O urso-pardo e o urso-polar divergiram de um ancestral comum há cerca de 2 milhões de anos no Ártico, atraídos pela possibilidade de comida, já que lá habitavam mamíferos desajeitados fáceis de se predar como as focas. Quando, mais uma vez, a camada de gelo derreteu, ursos pardos ficaram isolados no Ártico para evoluírem ao urso polar que hoje é extremamente adaptado a viver no seu hábitat de gelo.
Mais uma vez torno a falar sobre preservação de animais. A incrível jornada pela qual esses animais passaram, lutaram, resistiram e evoluíram para se adaptar a esse mundo deve ser respeitada. É absolutamente uma vergonha os ursos estarem em perigo de extinção, mais uma vez por causa dos seres humanos. Estamos destruindo as florestas de bambu, as florestas temperadas, as calotas de gelo, os mares, todos os diferentes hábitats que esses incríveis animais conseguiram se adaptar. Todas essas interferências podem ser ditas como indiretas. As diretas, como a caça, são ainda mais vergonhosas! Está na hora de repensarmos nossos hábitos um pouquinho, porque hoje em dia, infelizmente, ainda tem gente que diz que preservar o Panda é perda de tempo e dinheiro. Temos de ter respeito pelo planeta e pelos animais que neles vivem, inclusive nós, chega de pensar que estamos acima ou de fora da natureza e dos outros animais. Bom, vou guardar toda minha indignação e fervor para outros posts. Mas não esqueçam que o urso polar esta morrendo nadando pois não consegue chegar a praia, no caso gelo, literalmente.

posted under |

7 comentários:

Lento disse...

Tópico excelente!!!!

Beijos

ursos disse...

quero a justifica o termo urso-polar(ursus maritimus)é mais próximo do urso-cinzento(ursus arctos) ou do urso-panda gigante(ailuropoda)?

Anônimo disse...

ok achei superlegal
mas.....
e o urso negro?

Gustavo Andrade disse...

e o urso rápido da america do norte??

Anônimo disse...

seria um comentário brilhante sobre a evolução. Mas eu senti muito Lamarck presente em seu texto. Afinal, ninguém evolui para se adaptar, mas se adapta porque surgiu por recombinação ou mutação uma alteração no pool gênico da espécie, ao ponto de haver o isolamento reprodutivo.

Anônimo disse...

Amo os ursos!!! São animais cuja capacidade de evolução se assemelha a dos seres humanos, uma vez que estão presentes em quase todos os continentes do planeta! É um animal encantador e surpreendentemente adaptável!

Ana Paula de Souza disse...

Olá, só passando para dar uma atualizada, ursos são mamíferos grandes então eles não hibernam, mas fazem o chamado sono profundo, com exceção do panda que não faz.

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Followers